PhotobucketPhotobucketPhotobucketPhotobucket DES-ENCANTOS .................... blogo de notas: Abril 2006

27 de abril de 2006

Ler, pensar e assinar...

Lamentou Stravinsky que as pessoas não fossem «ensinadas a amar a Música, mas apenas a respeitá-la».
Podemos acolher a ideia e transpô-la para o ensino da língua portuguesa, relevando como é natural a Literatura, e concluir que a «Pátria» de todos nós não é amada, nem minimamente respeitada, mas antes parodiada. Não sabemos se devemos rir ou chorar perante situações como a de apresentar «Frei Luís de Sousa» de Almeida Garrett sob o título «Até ao meu regresso...»; transformar um soneto de Luís de Camões numa notícia de jornal, um texto de Fernando Pessoa num requerimento, um auto de Gil Vicente numa carta de reclamação, ou ainda envolver a poesia de Cesário Verde, o poeta de Lisboa e Mestre de Fernando Pessoa e heterónimos, com editoriais, textos publicitários e outros.
Temos assistido à sedimentação do culto do facilitismo, da permissividade e da ignorância.Entretanto, valores como a delicadeza, a curiosidade, o espírito de rigor, a exigência, o esforço ou o brio continuam a ser riscados do quotidiano escolar, com o aval de muitos que integram o Ministério da Educação. Testemunhámos esse comportamento nas últimas provas de avaliação do 9º ano, em que se substituiu «Os Lusíadas» de Luís de Camões por pontos de um Tratado da União Europeia, se interpretou Alves Redol e Luísa Costa Gomes com respostas de escolha múltipla e de verdadeiro/falso. Lamentavelmente, situação idêntica se prevê para os próximos exames do 12º ano do Ensino Secundário. Resposta múltipla a LPortuguesa? Como é possível??!!
Porque ao Ministério da Educação se exige responsabilidade no seu directo envolvimento com o Ensino, é necessári e urgente pôr cobro a esta situação, a qual não dignifica a Escola, enquanto lugar de continuidade de um património herdado, de aquisição permanente de novos saberes e de criatividade inovadora.
Avaliar assim NÃO. NUNCA.

24 de abril de 2006

uma efeméride

Muito mais que uma efeméride:levantamento militar de 1974 derrubou, num só dia,
o regime político que vigorava em Portugal desde 1926, sem grande resistência das forças do governo, que cederam perante o movimento popular que rapidamente apoiou os militares. Levantamento conhecido por 25 de Abril ou Revolução dos Cravos...
(isto 'tudo' para lembrar a alguns distraídos que todos os dias se cruzam connosco)
Fizeram-no muitas mãos como esta...sendo esta muito especial.De quem?
Image hosting by PhotobucketImage hosting by Photobucket

21 de abril de 2006

TOMAR(a) que...

"Consciente da importância do marketing no mundo actual a Câmara de Tomar não se poupa a esforços para publicitar a sua página na internet e em vários cartazes espalhados pelo concelho lá aparece o endereço www.cm-tomar.pt, isto apesar da página ainda não existir. Um exemplo do universo virtual no seu melhor!"
Citação tirada de um post do nabantino H.Cristóvão.De Tomar óbvio.
Uma vergonha, clara! uma cidade com um património universal, uma riqueza tão
própria, não está acessível no 'ciberespaço'.Qdº as 'Juntas' já possuem o seu
site...a CMT para além de 'virtual' é tacanha e curta de vistas.Uma vergonha.

16 de abril de 2006

o lilás

Para os passantes ficam os meus encantos de hoje,
com a côr que mais me cativa nesta época do ano, o lilás.

9 de abril de 2006

mais 'livre e aberta'

Ao não querer associar-se aos 30 anos da Constituição, R.Castro descobriu
que a 'dita' devia ser mais livre e aberta. Assim tal e qual.
Pois é: ele que é LIVRE, que a ABRA, LEIA e descubra onde ela lhe limita a liberdade,
que 'liberdades'pretende, e que aberturas sugere.
Parece mentira como estes sr. brinca com as palavras e connosco.

8 de abril de 2006

Parque da Paz, hoje

Tantos braços para aconchegar quem queira junto deles descansar;
transmitem sossego, paz e convidam ao descanso
neste silêncio de fim de tarde.É entrar...

5 de abril de 2006

o vinho e não só

Andamos a assistir ao indecoroso coro com vinhateiros, adegas e cooperativas,
contra uma medida que há muito devia ter sido 'revista': a dos níveis de alcoolemia.
A taxa deveria ser de zero por cento, por forma a que as pessoas tenham a consciência de que a condução é incompatível com o consumo de bebidas alcoólicas. Nem mais...ZERO...
Assim estamos a evidenciar quão baixo é o nosso nível 'cultural', que se manifesta
nesta e noutras questíunculas; sim: uma questão de cultura, geral e cívica...

1 de abril de 2006

jas(para)mim

O meu jasmim preferido, sempre sobre a minha janela.É Abril.É abrir.
Image hosting by Photobucket


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com